Um Belo Dia para Morrer

Se eu pudesse escolher, que dia eu gostaria de morrer?

Um dia que eu gostaria de morrer é aquele em que eu não tenha remorso nem arrependimento pela vida que vivi.

Morrer tranquilamente, seguro de que eu fiz o melhor que podia, e que não havia outra maneira de ter agido melhor, pois tudo o que fiz até aquele momento derradeiro foi feito com total consciência e com total certeza de que não havia outra escolha.

Como eu saberia que as escolhas foram certas? Eu saberia através da forma que fiz  minhas decisões. Se foram feitas com consciência e coragem, então, eu não detive os meus impulsos mais fortes, as minhas vontades mais profundas. Simplesmente os segui corajosa e ativamente. Tudo o que o meu coração ordenou, eu fiz sem duvidar ou pestanejar, pois eu acreditei no poder que possuo e, principalmente, no meu Verdadeiro Eu.

Uma vida vivida desse jeito é cheia de propósito verdadeiro, cheia de grandes feitos, mudanças e aprendizado. Uma vida como essa é uma grande dádiva, é um tesouro que não pode ser igualado por nenhuma regalia material. É a jóia mais rara e preciosa, que ninguém poderá tirar de mim, de você, ou de qualquer outra pessoa que viva dessa forma; nem mesmo a Morte poderá roubá-la.

Os feitos realizados durante esses anos aqui repercutirão por muitas eras sem fim, pois quando alguém realiza sua Verdadeira Vontade, é inevitável que encontre muitas dificuldades e obstáculos pelo caminho. É simplesmente natural. E essa pessoa, revestida como que por uma armadura dourada de certeza, desapego e propósito, influenciará a vida de todos aqueles que se interpuserem em seu caminho.

Não somente influenciará, mas mudará drasticamente tudo ao seu redor. Aquele que segue seu próprio coração torna-se um fogo perpétuo no mundo, transformando tudo. Esse fogo purificador revela a verdadeira face das coisas, distinguindo o que é duradouro e real do que é efêmero e ilusório. Destruindo o que não vem do Espírito, e mantendo tudo o que vem Dele.

Essa purificação é a revelação da Verdade.

Muitas coisas serão feitas através do portador do fogo. O Centro de suas ações é a vontade do seu coração, que é a única coisa capaz de apaziguar o medo da morte.

Para o portador, não importa se ele irá morrer agora, daqui a 1 ano ou daqui a 20 anos; ele continuará sendo o que é e fazendo o que faz; ele está conectado à fonte de tudo, não há nada para modificar ou buscar. Ele já se tornou o próprio Objetivo.

Se ele morresse nesse instante, ele estará satisfeito tanto quanto daqui a 20 anos, pois ele já é tudo o que almeja ser; ele não deixa nada para o futuro. Faz tudo nesse momento, no presente, pois sabe que isso é o que realmente importa. Isso é tudo o que ele tem, e paradoxalmente, ele tem Tudo.

Um belo dia para morrer é aquele dia em que eu alcançar o meu Fogo interior e me tornar um portador digno, ouvindo-o e vivendo através dele por todo o tempo, com total coragem e consciência. A partir daí, poderei dar meu último suspiro a qualquer momento, pois serei a própria Felicidade, Satisfação e Tranquilidade; eu serei Completo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: